sexta-feira, 4 de março de 2011

Rondonistas relatam experiências e recebem certificados

Encontro para relatos de experiências e entrega de certificados

De volta a Londrina, participantes das duas equipes da UEL que atuaram do Projeto Rondon, neste início de ano, reuniram-se na Sala dos Conselhos, com a vice-reitora Berenice Quinzani Jordão, e a pró-reitora de Extensão, Cristiane Cordeiro Nascimento, diretores da PROEX e professores coordenadores da atividade extensionista. O encontro aconteceu na manhã de hoje, 4, quando cada estudante descreveu suas respectivas atividades e experiências, bem como os docentes/coordenadores.

A vice-reitora da UEL parabenizou os universitários pela magnífica atuação na Operação Carajás, realizada no município de Rio Maria, no Pará; e na Operação Rio dos Siris, em Santana do São Francisco, no estado de Sergipe, onde desempenharam atividades nos segmentos de comunicação; cultura; direitos humanos e justiça; educação; meio ambiente; saúde; tecnologia e produção e trabalho. Ao final do evento os rondonistas entregaram à direção da UEL troféus comprovando a participação da UEL no Projeto Rondon 2011, nestas duas comunidades.

Antes de entregar os certificados aos participantes do projeto Rondon 2011, a professora Berenice Jordão pontuou que os rondonistas “levaram o nome da UEL para muito mais longe. Deixaram uma semente plantada em Rio Maria e em Santana do São Francisco. Esses relatos comoventes que ouvimos aqui constatam que o Rondon proporciona uma experiência indescritível oportunizando a capacidade de cada universitário em transformar uma realidade”.

A maioria dos rondonistas relatou que antes de embarcar nesta missão acreditavam que iriam transformar as comunidades onde atuariam. E constataram que eles (os rondonistas) é que voltaram transformados, embora satisfeitos com a oportunidade de trabalhar por uma causa cidadã e em uma atividade que não termina por aí, mas deixa marcas para novos caminhos a partir da transferência de saberes. Algumas estudantes, emocionadas, expressaram que o Projeto Rondon mudou suas vidas. Outra apostou que a experiência chegou a ser mais enriquecedora do que o intercâmbio em que participou.

O grupo da Operação Carajás que foi ao Pará levou dois professores e oito estudantes, que atuaram na ação B. A equipe era formada pela professora Carmen Hilst, por Gilberto Hildebrando, da Proex e pelos estudantes Carolina Nunes França (Geografia), Débora Dias de Carvalho (Medicina Veterinária), Francisco Fernandes Júnior (Zootecnia), Marcus Vinicius Ventura Bortolotti (Ciências da Computação), Nathália Cristina Bernardes Virgan (Administração), Nathália dos Santos Cavalcante (Ciências Econômicas), Otávio Cezarini Ávila (Comunicação Social - Relações Públicas), Valéria Feltrin Balan (Agronomia).

O grupo que participou da ação A com a Operação Rio dos Siris atuou em Santana do São Francisco, em Sergipe. Foi coordenado pelos professores Marli Verni e José Carlos Duarte. Contou com a participação dos universitários da UEL: Diego Lima Petenuci (Farmácia), Eliza Prata Vieira (Letras), Francislaine Flâmia Inácio (Psicologia), Leonardo Alves dos Santos (Educação Física), Natalia Eirão Zulin (Enfermagem), Priscila Rosa Lima (Direito), Raquel Carvalho de Souza (Medicina), Wesley Araújo Sampaio Vidal (Fisioterapia) e Guilherme Franchi da Silva Santos (Direito).

Nenhum comentário:

Postar um comentário