quinta-feira, 7 de julho de 2011

XXV Prêmio Jovem Cientista é lançado no Paraná

Agência UEL

Projeto vai promover encontro com estudantes do ensino superior e graduados e também será apresentado nas escolas do ensino médio e na Secretaria de Educação

O Prêmio Jovem Cientista, que, em sua XXV edição, tem o tema Cidades Sustentáveis, será lançado em Curitiba, nos dias 4 e 5 de julho, segunda e terça-feira, entre estudantes dos ensinos Médio e superior e graduados, e também na Secretaria Estadual de Educação. Equipes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação Roberto Marinho, estarão na cidade para divulgar o projeto e incentivar a participação de jovens e pesquisadores no Prêmio, que está com inscrições abertas até o dia 31 de agosto.

Na segunda-feira (4), o lançamento foi realizado no Auditório II da Universidade da Indústria da FIEP / CIETEP, no Jardim Botânico, às 15h. Durante o encontro, Fabiana Cristina De Campos Skrobot, doutora em Ciências e coordenadora de projetos no SENAI/PR, que atua na área de Gestão de Projetos, Gestão do Conhecimento, Estudos de Tendências de Futuro, Prospectiva Estratégica, Roadmapping, Inovação e Cenários, ministrou palestra sobre o tema desta edição. Sandro Scholze, vencedor do 2º lugar da categoria Estudante do Ensino Superior do XIV PJC, cujo tema foi “Novos equipamentos, aparelhos e utensílios para pessoas portadoras de deficiência”, também participa do lançamento e contará sobre sua experiência em participar do projeto. Atualmente, Scholze é gerente de P&D na Landis+Gyr equipamentos de medição.

No dia seguinte, terça-feira (5), será a vez das escolas do ensino Médio e da Secretaria de Educação receberem a equipe do Prêmio. Instituições públicas e privadas serão visitadas. Com o objetivo de facilitar a abordagem do tema desta edição, Cidades Sustentáveis, em sala de aula, o Prêmio Jovem Cientista elaborou um kit pedagógico voltado para professores do Ensino Médio. O material foi produzido pela Fundação Roberto Marinho com base em conteúdos elaborados por especialistas. Há duas versões do kit: a digital, disponível para download no site www.jovemcientista.cnpq.br, e a impressa, distribuída gratuitamente a escolas e professores, de instituições públicas ou privadas, que aderirem à premiação. Os kits impressos podem ser solicitados pelo e-mail jovemcientista@frm.org.br.

Inscrições

As inscrições para o XXV Prêmio Jovem Cientista estão abertas. Os candidatos poderão se inscrever pela internet até o dia 31 de agosto. Estudantes do Ensino Médio também podem enviar suas pesquisas pelos Correios. O regulamento completo do prêmio e a ficha de inscrição estão disponíveis no site do prêmio (www.jovemcientista.cnpq.br). O tema desta edição, que comemora os 30 anos do prêmio e os 60 anos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), é: Cidades Sustentáveis.

Os estudantes de ensino médio podem pesquisar uma das seguintes diretrizes: Ambientes sustentáveis: casa, escola, trabalho, espaços públicos; Planejamento urbano e qualidade de vida; Gestão das águas no meio urbano; Políticas de mobilidade nas cidades; Agricultura urbana; Gestão de resíduos: orgânicos, inorgânicos e perigosos; e Impactos das mudanças climáticas nas cidades.

Já pesquisadores e estudantes de nível superior podem inscrever trabalhos relacionados a uma das seguintes linhas de pesquisa: Vulnerabilidade, risco e mudanças climáticas nas cidades; Urbanização, ambiente e gestão das águas urbanas; Produção do espaço urbano e apropriação da natureza relacionada com a questão do solo / água / ventos e dos recursos energéticos; Políticas urbana, ambiental e de saúde relacionadas com a questão do lixo; Planejamento urbano, gestão e conflitos ambientais; Políticas de transporte e de mobilidade nas cidades; Agricultura urbana e cidade sustentável; Implicações socioambientais da legislação urbana; Paisagem urbana e arquitetura sustentável; e Cidades em fronteiras transnacionais e gestão ambiental.

O Prêmio

O Prêmio Jovem Cientista é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com a Fundação Roberto Marinho, a Gerdau e a GE. Quatro categorias são premiadas: Graduado, Estudante do Ensino Superior, Estudante do Ensino Médio, e Mérito Institucional. Há ainda uma Menção Honrosa para um pesquisador com título de doutor que tenha se destacado por sua trajetória na área relacionada ao tema do prêmio. Os orientadores das três categorias e as escolas dos três classificados do Ensino Médio são agraciados com laptops, como forma de estimular e reconhecer a cadeia de aprendizagem.

Na categoria Mérito Institucional serão premiadas as duas instituições – uma de ensino médio e outra de ensino superior – às quais estiver vinculado o maior número de trabalhos com mérito científico, desenvolvidos por candidatos inscritos nas categorias Graduado, Estudante do Ensino Superior e Estudante do Ensino Médio.

Premiação

Na categoria Graduado, os vencedores são agraciados com R$30 mil (1º lugar); R$20 mil (2º lugar) e R$15 mil (3º lugar). Para Estudantes do Ensino Superior, os valores são de R$15 mil para o 1º lugar, R$12 mil para o 2º lugar e R$10 mil para o 3º lugar. Estudantes do Ensino Médio classificados em 1º, 2º e 3º lugares recebem um laptop de última geração cada um.

No Mérito Institucional, serão pagos R$35 mil para cada uma das duas instituições – uma de Ensino Médio e uma de Ensino Superior - que tiverem o maior número de trabalhos com mérito científico inscritos. O pesquisador que for indicado para a Menção Honrosa ganhará R$20 mil.

Além da premiação relacionada, todos os premiados recebem bolsas de estudo do CNPq, caso atendam aos critérios normativos do órgão, descritos no site www.cnpq.br/bolsas. Os pesquisadores classificados em primeiro lugar em cada uma das categorias (Graduado, estudante do Ensino Superior e Estudante do Ensino Médio), também participarão de Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em 2012.

Kit pedagógico

O material está dividido em três partes. O Caderno do Professor traz informações, casos e indicações de fontes sobre questões relacionadas ao ambiente urbano - como planejamento, edificações, mobilidade, agricultura urbana e gestão das águas e dos resíduos. Além disso, trata dos impactos das mudanças climáticas nas cidades. Nos Roteiros de Trabalho, o professor encontrará seis percursos para preparar e aplicar aulas relacionadas ao tema, favorecendo sempre a interdisciplinaridade e a integração dos alunos. Já as Fichas de Atividades reúnem 12 propostas voltadas à experimentação no ambiente de aprendizagem. Elas relacionam o conteúdo dos Cadernos a aspectos do cotidiano, auxiliando na identificação de temas de pesquisa para o Prêmio Jovem Cientista. Por meio das fichas, o aluno é levado a pesquisar fontes bibliográficas e a levantar dados que o ajudarão a compreender os problemas de sua cidade e a propor soluções.

Para orientar os professores no uso do material didático, o Prêmio Jovem Cientista vem promovendo oficinas ministradas por educadores da Fundação Roberto Marinho, nos estados do Norte, na Paraíba, em Pernambuco, em Sergipe, no Piauí e no Rio de Janeiro. Os docentes que quiserem participar das oficinas devem entrar em contato com as Secretarias de Educação, informando o nome da escola onde lecionam, o número de alunos da sua turma e a disciplina na qual o tema será trabalhado. Mais informações sobre as oficinas e a agenda dos encontros podem ser solicitadas pelo e-mail jovemcientista@frm.org.br.

Histórico

O Prêmio Jovem Cientista foi criado em 1981 com o objetivo de incentivar a pesquisa no Brasil e é considerado pela comunidade científica uma das mais importantes premiações do gênero na América Latina. A entrega da premiação é feita pelo presidente da República em exercício e reúne na cerimônia autoridades governamentais da área da ciência e tecnologia, além dos mais respeitados nomes da ciência brasileira.

Os temas escolhidos são sempre de interesse direto da população e buscam soluções simples e acessíveis para problemas encontrados em seu cotidiano. Entre os assuntos abordados em anos anteriores estão “Saúde da população e controle de endemias", "Oceanos: fonte de alimentos", “Saúde da População – controle da infecção hospitalar” e “Educação para reduzir as desigualdades sociais”. No ano passado, com o tema “Energia e Meio Ambiente – soluções para o futuro”, o prêmio recebeu 2.158 inscrições de todo o país, sendo 158 na categoria Graduado; 75 na categoria Estudante do Ensino Superior e 1.925 na categoria Estudante do Ensino Médio. (Fonte: Assessoria de Imprensa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário