quarta-feira, 28 de maio de 2014

Moradores do Conjunto Saltinho recebem Projeto de Extensão Saúde na Comunidade

A manhã gelada desta quarta-feira (28) não impediu que o aposentado Jorge Reis, 67 anos, deixasse a cama quentinha para ir cuidar da saúde. “Eu vim aqui para ver com está minha pressão [arterial], anunciaram que estavam aferindo a pressão e realizando exame de diabetes [glicemia], então eu vim”, contou. Assim como ele, muita gente encarou o frio para participar do Projeto de Extensão Saúde na Comunidade da UEL, realizado no Conjunto Saltinho.

Esta é a primeira ação do ano do projeto. Em 2013, foram três ações em bairros da região de abrangência do Parque Industrial. Nesta edição, os moradores do Saltinho receberam diversas ações, além da aferição de pressão arterial e teste de glicemia, contaram com orientações, sobre boa alimentação, assistência odontológica para crianças, controle de peso, cuidados com o uso do sal na alimentação, orientação sexual e puderam tirar as dúvidas pendentes com alunos da “Residência Multiprofissional da Saúde da Família e Comunidade”.


Seo Jorge é morador do conjunto há mais de 30 anos e considera que esta ação vem para suprir uma grande necessidade local. “Com o pessoal vindo aqui, a gente não precisa se deslocar para o posto de saúde, sair de casa e ter que cruzar a rodovia [PR-445], tem gente de mais idade que não consegue. Aqui fica bem mais fácil. Tinha que ter todo mês”. A UBS que atende o conjunto tem área de abrangência geográfica muito grande, ficando, às vezes, distantes de alguns bairros.

A presidente da Associação Mulheres Esperança no Futuro, Angelita Camargo, esteve participando do evento e é uma contribuinte nas ações do projeto de extensão. Ela também aproveitou para aferir a pressão e prestigiar as demais ações. Angelita explica que falta estreitamento entre a Unidade Básica de Saúde e a comunidade e que “esse contato direto com o posto de saúde, com os funcionários, tem sido uma parceria muito grande, porque não é só ir lá e fazer o atendimento, é preciso ter essa relação de comunidade”.

Para a psicóloga Vanessa Carlos, aluna da residência, o projeto vem com esse sentido de integração. “A educação de saúde é primordial e nem sempre ela está próxima à moradia das pessoas. Nós como unidade básica de saúde temos o objetivo de trazer a educação de saúde e a integração entre o profissional e população”, acrescenta.

Vanessa explica que existem dificuldades para executar mais ações como o Saúde na Comunidade. “Precisamos de apoios sociais, governamentais, de todos os setores. Isso leva tempo e empenho, temos recursos limitados, tanto de humanos quanto de material”, concluiu.

O evento contou também com atrações culturais, como apresentação de capoeira do grupo infantil do Jardim União da Vitória, uma apresentação de teatro dos alunos da residência e contação de histórias para as crianças do Centro de Educação Infantil da região.

Para mais informações sobre o projeto entrar em contato pelo e-mail ctokamura@gmail.com ou telefone 3371-2398.




Nenhum comentário:

Postar um comentário