Projeto de Extensão DidaTIC auxilia professores no uso de tecnologias

Agência UEL/Beatriz Botelho

Iniciativa do Departamento de Educação auxilia professores no uso de recursos para atividades remotas

Com o objetivo de assessorar e capacitar professores para as atividades remotas, durante a pandemia causada pela COVID-19, o projeto de extensão recém-criado "DidaTIC e formação de professores para o ensino remoto: atendimento emergencial à COVID-19" começou na última segunda-feira (8). São encontros formativos online com professores do Colégio de Aplicação da UEL. Nos próximos dias, responsáveis pelo projeto iniciam também a formação de professores do Departamento de Educação, da Guarda Mirim de Londrina e da Rede Municipal de Educação.
O projeto é coordenado pelas professoras Diene Eire de Mello e Dirce Aparecida Foletto de Moraes, ambas do Departamento de Educação, do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA), responsáveis pela área de uso de tecnologia na educação. Os encontros formativos serão realizados juntamente com professores da área de Didática, do Departamento de Educação. O objetivo é subsidiar o trabalho dos professores com ações formativas e colaborativas por meio do uso das tecnologias digitais como instrumentos mediadores, no enfrentamento das dificuldades no ensino remoto. 
Segundo Diene Mello, professores da Rede e também de ex-alunos do curso de Pedagogia da UEL a procuraram para orientação sobre o ensino remoto. Foi a partir da identificação dessa necessidade de auxílio que o projeto de extensão foi criado. "Os professores não têm formação para trabalhar com tecnologia nem no presencial. Não só no aspecto instrumental, mas o planejamento, o entendimento de como ocorre a aprendizagem quando não se está face a face, o que significa aprender", afirma Diene.
Feedback - Com o Colégio Aplicação, por exemplo, foi realizada formação de professores para uso do Google Classroom, um serviço gratuito que utiliza armazenamento em nuvem no Google Drive para facilitar a relação entre estudantes, professores e os deveres de casa. De acordo com Dirce Moraes, o feedback dos professores foi positivo. Eles inclusive aproveitaram a oportunidade para compartilhar experiências. "Estamos chamando de encontros formativos, pois entendemos que desta forma atuamos em parceria, de forma colaborativa. Assim, podemos interagir, dialogar e construir juntos", afirma.
Para os professores do Departamento de Educação, serão promovidos sete encontros formativos. Neles, além do Google Classroom, serão trabalhados temas como planejamento, recursos educacionais abertos, leitura em suportes digitais, produção colaborativa e instrumentos avaliativos. O objetivo é capacitá-los para as atividades remotas visto que, na última sexta-feira (6), a Câmara de Graduação da UEL encaminhou uma Minuta de Resolução ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), propondo a retomada do Calendário Acadêmico da Graduação a partir de 29 de junho, de forma não presencial.
Atividade remota - Recentemente, Diene Eire de Mello publicou o artigo "Educação a distância, educação online e atividades remotas", em que faz a distinção entre eles. Ela reitera que neste momento o que está sendo feito em escolas e universidade - que realizam o ensino presencial - é chamado de atividade remota emergencial. "O isolamento nos provoca a pensar este modelo, mas isso o que estamos fazendo não é educação a distância", afirma.
Diene define a educação a distância como uma modalidade de ensino que tem o objetivo de instruir, formar, ensinar quando estudantes e professores estão em espaços e tempos distintos. Nesse sentido, existe uma estrutura pensada para o formato online, com infraestrutura e auxílio de pessoal capacitado. O que, segundo ela, não é o modelo pensado para este momento. A atividade remota emergencial propõe a adaptação do conteúdo da aula física para o online, dado pelo mesmo professor, em tempo real - seguindo princípios do ensino presencial.
A professora também reconhece que existe resistência dos professores para introdução dessa atividade remota emergencial. "É compreensível, porque ele já tem a organização da sala de aula, já tem uma cultura estabelecida do que é escola, universidade", explica.
DidaTIC - O Grupo de Estudos e Pesquisas em Didática, Aprendizagem e Tecnologias (DidaTIC), ligado ao Departamento de Educação, do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA), realiza estudos e pesquisas no campo das tecnologias digitais, ensino e aprendizagem, buscando compreender e auxiliar as práticas educativas com o uso dos artefatos digitais.
O Grupo contempla três projetos de pesquisa, com estudos e produções científicas sobre as tecnologias digitais e a educação, envolvendo professores, estudantes de graduação e pós-graduação. Atualmente, eles atuam no projeto de extensão, para contribuir no emergencial da pandemia. Para subsidiar as ações docentes, são disponibilizados no site do DidaTIC material bibliográfico, material de apoio e teleatendimento ao professor que necessitar de assessoria.

Comentários