terça-feira, 9 de agosto de 2011

Campanha pela Cidadania e Solidariedade em Londrina

Jornal de Londrina


Começa domingo em todo o Brasil a nona edição da Semana Nacional pela Cidadania e Solidariedade. Em Londrina, parte da programação - que inclui o lançamento de um gibi da “Turminha pela paz” sobre o desarmamento - será organizada pelo Conselho Municipal de Cultura de Paz (Compaz), ONG Londrina Pazeando e movimento Nós Podemos Londrina. O responsável pelo movimento, Luis Claudio Galhardi, comenta que a cultura de paz se baseia em valores como solidariedade e fraternidade, e que é possível alcançá-la com atitudes cotidianas. “Precisamos resgatar os valores humanos, porque a desumanização gera violência. Estamos muito virtuais e ficamos de cara fechada com quem trabalha ao nosso lado. É preciso abraçar, sorrir, dar a mão, cumprimentar as pessoas, agir como há alguns anos, quando todo mundo se conhecia”, defende.

Para Galhardi, a violência tem sido superexplorada, inclusive pelos meios de comunicação. Para ele, isso pode ser combatido com “pequeninas coisas, capazes de gerar um efeito dominó”.

O próprio movimento Nós Podemos Londrina promove ações nesse sentido. Em 2009, 800 pessoas se reuniram para abraçar o Lago Igapó e, em 2010, esse número subiu para 1500. Galhardi acredita que a tendência é que a mobilização cresça neste ano. Outra iniciativa é o “abraço grátis” no calçadão, que causa reações bastante diversas nas pessoas que passam pelo local e são abordadas pelos participantes. “O ser humano precisa ser cuidado. Só o fato de observar alguém já faz diferença”, diz Galhardi.

Desigualdades

Para Celso Melchíades, que é vice-presidente da Federação Comunitária das Associações de Moradores do Paraná (Fecampar) e presidente do site FocoLondrina (criado para levar as reivindicações da população aos responsáveis), o primeiro passo para se criar uma cultura de paz é a conscientização a respeito das desigualdades sociais. “Construir cadeia não auxilia na segurança; e não é dando cesta básica que se resolve a situação. É preciso um debate sobre o que é desigualdade, para que ela seja combatida na raiz.”

O padre Edivan Santos, da Pastoral Carcerária de Londrina, explica que a paz tem várias compreensões, mas a maioria das pessoas se lembra dela como sinônimo de segurança, ou seja, como uma experiência externa. Para ele, a violência está ligada a fatores como vulnerabilidade social, consumo e tráfico de drogas e impunidade. Apesar disso, a paz está para além do estrutural e só pode ser atingida pelo “caminho do amor”.

Além de uma educação mais humanista e humanizadora, o padre acredita que a religião deve ser um elo de paz entre as diferentes igrejas. “A religião tem que promover a paz. Meu encontro com Deus precisa me enviar para o encontro misericordioso com o outro. E nas catequeses que temos dado, fica claro que as crianças dão um show em cultura de paz.”

5 comentários:

  1. o melhor caminho para termos uma sociedade justa e igualitaria e atraves da integração popular bandeira de luta da força comunitaria de londrina

    ResponderExcluir
  2. Se realmente quisermos acabar com a desigualdade social nos temos que ter a consciencia que corrupção sem puniçao e crime

    ResponderExcluir
  3. visite o nosso site focolondrina.webnode.com.br e partecipe com ideias a sua opinião e muito inportante para nos

    ResponderExcluir
  4. campanha CHEGA DE CORRUPÇÃO SEM PUNIÇÃO PARTECIPE focolondrina.webnode.com.br

    ResponderExcluir
  5. A CAMARA POPULAR DE LONDRINA SERA FORMADA POR PRESIDENTES DE ASSOCIAÇÕES DE MORADORES PARA FISCALIZAR OS TRABALHOS DE TODOS VEREADORES DE LONDRINA VISITE O SITE FOCOLONDRINA.

    ResponderExcluir