quinta-feira, 1 de março de 2012

Alunos da UEL fazem mutirão de limpeza no Jardim Parque Universidade I

por Lais Taine



Nesta quinta-feira (1°/03) cerca de 50 alunos ingressantes do curso de Agronomia participou de um trote solidário que buscou coletar lixo nas ruas e em terrenos baldios do Jardim Parque Universidade I, zona leste de Londrina.

O Trote foi uma iniciativa dos Centros Acadêmicos de Geografia e Agronomia com a união de alunos de outros cursos e a Proex. “Para o trabalho de hoje, a intenção é recolher material reciclado e objetos que possam conter focos da dengue e conscientizar os moradores, como forma de prevenção”, disse a Professora Colaboradora Solange de Paula Ramos, do CCB.

Apesar do sol forte da manhã de hoje, os alunos estavam animados. A aluna do terceiro ano de Agronomia, Camila Valestri dos Santos, concordou com o calor, mas comentou: “É por uma boa causa, essa iniciativa beneficia o bairro e os alunos, assim nós ficamos mais próximos da comunidade externa, aplicando o conhecimento”. O calouro Daniel Lavorente de Oliveira afirmou: “É um trote melhor que os outros com que estamos acostumados a ver e traz bons resultados, eu gosto mais assim!”,riu.

Duas alunas que participaram do Projeto Rondon; Débora Ingrid de Souza, OperaçãoPeixe-boi e Carolina Nunes França, Operação Carajás; também estavam participando do trote solidário. “A experiência que eu tive no Rondon me permite entender o trabalho de uma forma melhor, aqui eu posso dar continuidade e essa atividade também serve de capacitação para os alunos que tem interesse em participar do Projeto”, disse a rondonista Carolina.

Os moradores da região ficaram curiosos com a movimentação. Rosa da Silva Pereira, 47, não é do bairro, mas vai toda semana trabalhar em um bazar de roupas. “Eu acho muito bom esse serviço de conversar com as pessoas, ajudando a manter limpo, acho que assim o pessoal vai tomando conta, se conscientizando...” Já o morador Paulo Roberto daSilva, 62, aproveitou para reclamar mudanças de comportamento da comunidade, em frente a sua casa há um terreno abandonado com o mato alto. “Eu cuido da minha casa, eu limpo, eu corto a grama, mas se o meu vizinho não faz isso, a gente corre o risco do mesmo jeito. As pessoas precisam ter mais cuidado, ficar mais preocupadas com a saúde delas e dos que estão em volta”, disse indignado com a negligência de alguns vizinhos.

O trote teve parceria da CMTU, que irá recolher todo o lixo coletado pelos alunos, e a Vigilância Sanitária, que entregou sacos de lixo reciclável e de lixo comum, além de acompanhar o trabalho dos alunos na parte de educação. “Nós viemos com algumas pessoas da equipe de Educação e Saúde para dar o respaldo aos alunos, essa parceria é muito interessante pra gente, porque qualquer trabalho de educação e interrupção do ciclo do mosquito, como a retirada de lixo em terrenos vazios, já é uma ajuda muito grande para nós e para a sociedade”, disse a coordenadora da equipe de Educação e Saúde do setor de endemias da Vigilância Sanitária, Mirian Piquina.

Parao Professor Paulo Vicente Contador Zaqueu, do CCA, o mutirão da limpeza faz com que os alunos ingressantes interajam com a realidade dos bairros em torno da UEL e ao mesmo tempo evita que o mosquito da dengue se prolifere. “O trabalho é interessante para a comunidade, pois eles recebem o conhecimento da universidade e os alunos aplicam esse conhecimento a partir da realidade do bairro, evitando uma epidemia de dengue num bairro de região crítica”.

O trabalho ainda não acabou, na semana seguinte, os calouros do curso de Geografia pretendem refazer a pintura da Casa Acolhedora Mãe e Senhora de Todos os Povos, que fica no bairro. Amanda Nayara dos Santos Cardoso, auxiliar da área de Comunicação da Casa, falou dos benefícios para a população da região e para os alunos da UEL. “O bairro é muito carente, essa iniciativa é uma forma de melhorar o ambiente que as crianças usam e diminui a distância social entre o bairro e os alunos da Universidade, que estão aqui, do ladinho da gente”.

Um comentário: