segunda-feira, 8 de abril de 2013

UEL implanta cursinho pré-vestibular nas penitenciárias de Londrina

Fonte: Folha de Londrina e Agência UEL

A diretora do Patronato Penitenciário de Londrina, Cíntia Helena dos Santos, é a convidada para a aula inaugural do Curso Pré-Vestibular direcionado aos apenados, na próxima quinta-feira (11), a partir das 14 horas na PEL I e logo depois, às 15h30, na PEL II. A diretora vai falar sobre o tema "Educação e Direitos Humanos na atualidade", oficializando a iniciativa que deverá beneficiar 60 detentos de Londrina, com aulas de segunda a sexta-feira, das 14 às 17 horas. As aulas serão ministradas por 18 estudantes da UEL, que receberão bolsas pagas pela Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná (SEJU).

A implantação de um cursinho pré-vestibular nas penitenciárias de Londrina é o resultado de trabalho que começou há mais de um ano envolvendo professores da UEL e técnicos da Secretaria de Justiça. Por iniciativa do governo do Estado já existe a Rede de Qualificação Profissional do Apenado, projeto que proporciona reciclagem profissional, redução do analfabetismo e a reinserção social. Segundo dados da SEJU existem cerca de 18 mil apenados, nas 24 unidades prisionais do Estado.

De acordo com a diretora de Acompanhamento de Projetos da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), Cleusa Cacione, os 18 estudantes terão uma oportunidade ímpar. Todos cursam licenciaturas na UEL e receberão R$ 658,80 mensais. As aulas serão presenciais, na PEL I e II, em salas de aula que foram preparadas pelos próprios presos.

Para cumprir a missão, os estudantes receberam treinamento de didática no Laboratório de Tecnologia Educacional (Labted) da UEL e serão supervisionados pelos seus professores. Os bolsistas terão ainda apoio dos educadores que atuam nas unidades prisionais, por meio do Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (CEEBJA). De acordo com a diretora, a Proex deverá manter reuniões semanais para ouvir e acompanhar individualmente os jovens.

"Este estudante trabalhará sobre pressão, mas terá uma oportunidade única, que colaborará muito para uma sólida formação", afirma a diretora. Ela informa que o material didático será o mesmo utilizado nos cursinhos oferecidos pela UEL. A única diferença é que a apostila, oferecida em forma de caderno espiral, foi transformada em brochura, cumprindo as rígidas normas de segurança das penitenciárias.

Para os apenados, as aulas serão interessantes para abrir novas oportunidades. A legislação brasileira garante benefícios para os apenados que se debruçam sobre livros. Cada período de 12 horas de estudos significa um dia de remissão. Ainda de acordo com a legislação, o preso pode ser beneficiado com desconto de 1/3 no total de sua pena no caso da conclusão dos estudos (Ensino Fundamental, Médio e até Superior) durante a execução da pena. Todos os casos são avaliados individualmente pelo Juiz da Vara de Execuções Penais. Os 60 selecionados para as duas turmas da PEL I e II já concluíram o Ensino Médio e estão terminando suas penas.

Reunião - Professores da UEL se reuniram nesta sexta-feira (5) com a coordenadora de educação, qualificação e profissionalização da SEJU, Ana Rita Bortolozzo. O objetivo foi discutir o planejamento visando oferecer cursos para agentes penitenciários e apenados por meio da tecnologia de Educação à Distância (EAD). Participaram da reunião a pró-reitora de Extensão da UEL, Cristianne Cordeiro do Nascimento, o diretor do Labted, Pedro Paulo Ayrosa, além de professores do curso de Ciência da Computação da UEL, que já tem experiência com a ferramenta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário