quarta-feira, 9 de abril de 2014

Abertura da XXV Semana de Ciências Sociais teve mesa redonda sobre o panorama da Ditadura Militar


Na noite da última terça-feira (08/04) foi realizada a abertura oficial da “XXV Semana de Ciências Sociais”, que traz para debate como tema central os “50 anos do Golpe Militar”. A abertura contou com uma apresentação do Coral Infantil da UEL e em seguida deu início às discussões programadas.

A Professora convidada, Heloísa Helena Martins, da USP, falou sobre o início da ditadura, como foram os primeiros dias logo após o golpe. Fez um panorama sobre as dificuldades em exercer a profissão de docente em Ciências Sociais e sobre a repressão na USP. Ela lembrou dos professores que foram perseguidos, presos e, alguns, que buscaram o exílio.

Em seguida a Professora Marcolina Carvalho, do Departamento de Ciências Sociais da UEL, continuou a palestra com o tema voltado para a criação da UEL e curso de Ciências Sociais no contexto da Ditadura. “A UEL foi criada nos moldes da reforma universitária imposta pela ditadura”, comentou a professora. Ela comentou também sobre as lutas e as dificuldades enfrentadas para a criação da “I Semana de Ciências Sociais” realizada na UEL.

Fechando a palestra de abertura, a professora Maria José de Rezende, também do Departamento de Ciências Sociais da UEL, pautou para o debate as características da Ditadura Militar, decorrentes da Lei de Segurança Nacional e Estratégias Psicosocial. Rezende falou sobre a disposição do Regime para tentar legitimar a Ditadura Militar, com base no Decreto 869 - de 12 de setembro de 1969 – de Educação Moral e Cívica, que se baseava em uma disciplina de ordem para o país.

A abertura da Semana foi finalizada com um debate entre a platéia e os professores convidados sobre a abordagem das palestras. O evento se estende até 10/04. Confira a programação no site


Nenhum comentário:

Postar um comentário