terça-feira, 29 de novembro de 2016

Projeto disponibiliza quadrinhos para combate da dengue

Fonte: Agência UEL



 Cada revista está voltada para uma faixa etária distinta

O projeto de extensão "História em Quadrinhos como ferramenta ao Design da Informação", desenvolvido por estudantes do curso de Design, do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA) em parceria com a Autarquia Municipal de Saúde de Londrina, está disponibilizando o conteúdo para leitores e interessados, com foco na prevenção da dengue, doença que se agrava durante o verão. O conteúdo pode ser acessado no endereço http://joaozequi.blogspot.com.br/2016/11/historias-em-quadrinhos-para-vigilancia.html?spref=fb.

O projeto teve início este ano com a produção de três revistas de oito páginas, desenvolvidas pelos estudantes dentro da disciplina de Histórias em Quadrinhos, ministrada pela professora Paula Napo, do Departamento de Design (CECA), que coordena o projeto. "Queremos que muitas pessoas possam ter contato com o material para melhorar a consciência de que a doença (dengue) pode ser evitada", afirma a coordenadora do projeto.


Projeto teve início este ano com a produção de três revistas de oito páginas

O projeto contou com a participação do professor e pesquisador João Zequi, especialista em entomologia, lotado no Departamento de Biologia Animal e Vegetal do Centro de Ciências Biológicas (CCB) da UEL, responsável pela revisão técnica. As revistas trazem dicas importantes como o check list 10 minutos contra o Aedes aegypti, ou seja, recomendações práticas para verificação de potenciais locais que podem servir como criadouros do mosquito, como vasos de plantas e as bandejas da geladeira e do ar condicionado, baseado no projeto da Instituição FioCruz - Oswaldo Cruz/RJ - que pode ser aplicado em toda Londrina.

A professora Paula Napo observa ainda que o potencial de assimilação das informações veiculadas pelas HQs é enorme, porque as revistas unem imagem e texto e, assim, transmitem informações sobre a dengue com eficiência. As histórias abordam, entre outros pontos, as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, sujeira, lixo, água parada e morte. Os personagens são crianças, adultos, os próprios mosquitos e até a Morte, personificada. O tratamento estético entrou no contexto do tema. Cada revista está voltada para uma faixa etária distinta, sendo 6-12, 13-17 e 18-25 anos.


As histórias mostram as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, sujeira, lixo, água parada e morte

Nenhum comentário:

Postar um comentário