quinta-feira, 13 de abril de 2017

Depois da ExpoLondrina, Economia Solidária faz campanha de Páscoa

Grupos do Programa de Economia Solidária de Londrina participaram pela primeira vez da ExpoLondrina e agora fazem campanha de Páscoa

Você não leva só um produto, mas um conceito”, diz Nelma Liberato sobre os produtos feitos pelo Programa de Economia Solidária. “Aqui mostramos o trabalho humano em sua essência, na busca da não-exploração. É a valorização desse trabalho”, diz Liberato, ex-gerente do Programa Municipal de Economia Solidária em Londrina.

O Programa existe desde 2005 na cidade e é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Assistência Social. Seu objetivo é apoiar iniciativas coletivas de geração de trabalho e renda local. O público atendido pela assistência social é prioridade. O Programa é dividido em quatro áreas: artesanato, prestação de serviços, alimentação e confecção. Os participantes recebem auxílio técnico para o aprimoramento dos produtos.

Foi a primeira vez que o Economia Solidária teve um espaço na Exposição / Agência UEL
Neste ano, vinte e três grupos do Programa participaram pela primeira vez da Exposição Agropecuária de Londrina, a maior feira agropecuária do Paraná. A ExpoLondrina está em sua 57ª edição e é realizada anualmente no Parque Ney Braga. Os grupos ocuparam uma área com mais de 350 metros quadrados onde mostraram móveis, bordados, trabalhos em patchwork, crochês, tecidos, sabonetes, velas e artefatos com madeira.

“É uma forma de mostrarmos o potencial da Economia Solidária”, diz Paulo Aragão, gerente do Programa. Segundo ele, o espaço foi cedido devido a uma parceria com a Sociedade Rural do Paraná. Para ele, a presença do Economia Solidária no evento marca a importância do Programa como política pública na cidade.


Micarla Gonçalves participa do Economia Solidária há cinco anos. Ela e o marido comercializam móveis trançados e apostam no período pós-feira. “Na minha opinião, móveis não vendem em grandes eventos”, diz ela. “Mas o que importa são os contatos e a divulgação que conseguimos aqui”. Paulo Fernandes é outro dos participantes do Economia Solidária na Expo. Ele comercializa tapetes decorativos e conta que conseguiu ampliar a gama de contatos a partir do público da feira

"A importância dos empreendimentos estarem na Exposição é mostrar que existe uma outra economia. Pessoas que nunca ouviram falar de economia solidária tem contato com o Programa”, diz Liberato. “Você tem diversos outros empreendimentos que não respeitam o princípio da economia solidária e de repente nós temos um espaço lá”, diz Aragão.

Páscoa Solidária
O Economia Solidária lançou uma campanha de Páscoa no dia 22 de março. O tema é “Por uma Páscoa mais doce e uma Economia mais Solidária”.  A campanha vai até o dia 15 de abril nos dois centros de atendimento do Programa. Além de ovos de chocolate, também há bolachas, bolos, artesanatos. Participam da campanha 11 grupos do Economia Solidária.


 

Segundo Aragão, espera-se vender mais de uma tonelada de chocolate até o encerramento. “A campanha de Páscoa do Economia Solidária já é uma tradição do Programa”, diz ele. Ela é realizada desde 2007.

Este é o primeiro ano de Alex Teixeira no Programa. Para a páscoa, ele produz ovos de colher, trufas e pães de mel. “A Economia Solidária dá um apoio muito bom pra divulgarmos nossos produtos”, diz Teixeira.

Os produtos de Páscoa da Economia Solidária podem ser adquiridos no Centro Público de Economia Solidária, na Av. Rio de Janeiro, 1.278, esquina com a Av. Juscelino Kubitschek, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. No dia 15 de abril, o atendimento será das 9h às 14h.

Mais informações sobre o Programa de Economia Solidária pelos telefones (43) 3378-0434 e (43) 3378-0577.

Há um ano no Programa, Alex Teixeira comercializa ovos recheados
INTES
A INTES (Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Solidários) é um programa de extensão da UEL que atua na assessoria a EES (Empreendimentos Econômicos Solidários). “O objetivo é fomentar o desenvolvimento da economia solidária na área de abrangência da UEL”, diz Sinival Pitaguari, coordenador da INTES. É também um espaço de formação profissional para alunos e pesquisadores.

“A INTES faz parcerias com outras instituições que apoiam o desenvolvimento de empreendimentos solidários”, diz Pitaguari, como o Programa de Economia Solidária. “A principal contribuição da Incubadora é com o trabalho de capacitação dos trabalhadores dos empreendimentos em economia solidária”, diz ele.

Liberato diz que o Programa de Economia Solidária precisa da tecnologia produzida dentro da universidade. “Em parceria com a INTES, já fizemos várias coisas, desde sentar para discutir a nova lei do cooperativismo até fazer seminários sobre economia solidária”, diz ela. “Não sei se posso dizer que a INTES e o Economia Solidária são parceiros, porque nós trabalhamos em conjunto”, completa.
Apesar da parceria, a INTES não participou com o Economia Solidária da ExpoLondrina e nem da campanha de Páscoa. O motivo são as férias dos docentes e discentes da UEL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário