Seti prorroga inscrições do Prêmio de C&T

Agência UEL/Pedro Livoratti

(Divulgação/SETI)
A Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) prorrogou o prazo para inscrição no 33º Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia até dia 5 de agosto. A premiação tem o objetivo de valorizar as ações de pesquisa, extensão e inovação no Estado do Paraná. Para se inscrever os interessados devem acessar SETI/PRÊMIO. Os vencedores terão direito a prêmio em dinheiro que varia de R$ 11.568,29 a R$ 34.704,88, de acordo com a categoria. Em 2019, foram entregues R$ 215 mil em premiações para os vencedores.
De acordo com o superintendente da Seti, Aldo Bona, a prorrogação se justifica pelo momento atípico pelo qual passa a sociedade brasileira, com reflexos nas Universidades e institutos de pesquisa, em virtude do coronavírus. Nesta edição, as áreas do conhecimento em destaque serão as Ciências Humanas e Sociais e Ciências Agrárias. 
Os interessados podem se inscrever nas categorias profissionais e estudantes vinculados a Universidades e institutos de pesquisa; inventores independentes e jornalistas com reportagens de divulgação de pesquisas realizadas no Paraná. Os candidatos serão avaliados por uma comissão composta por cinco profissionais de cada uma das áreas, vinculados a instituições de ensino e pesquisa de diferentes estados brasileiros.
UEL - No ano passado dois professores e dois estudantes de graduação da UEL foram contemplados na 32ª edição do Prêmio Paranaense de Ciência e Tecnologia. O professor Waldiceu Aparecido Verri Junior, do Departamento de Ciências Patológicas, foi um dos contemplados, na área Ciência da Saúde. Waldiceu Junior desenvolve pesquisa sobre novas moléculas, demonstrando os efeitos anti-inflamatório e analgésico em diversas doenças.
Outro trabalho reconhecido no ano passado foi o da professora Karen Brajão de Oliveira, também do Departamento de Ciências Patológicas, que concorreu na categoria Pesquisador-extensionista, também na área de Ciência da Saúde. Karen é Docente Adjunto da área de Imunologia, orientadora do Programa de Patologia Experimental, também membro do comitê de ética em Pesquisa em Seres Humanos da UEL. O trabalho premiado busca compreender os agentes causadores do papilomavírus humano (HPV). A professora coordena projeto de extensão nas Unidades Básicas de Saúde e no Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema. Por meio do projeto, são realizados exames para detecção molecular do HPV. A técnica identifica o DNA do vírus antes mesmo dele provocar alguma lesão.
Também foram premiados no ano passado, os estudantes de graduação da UEL Everton José Santana e Caroline Yukari Motoori. Everton é ex-aluno de Engenharia Elétrica e ganhou o prêmio com um estudo sobre um novo método de aprendizado que aumenta o desempenho produtivo de diferentes parâmetros utilizados em análises da qualidade da carne. Caroline, estudante de Biomedicina, conquistou a premiação com o trabalho que analisou uma molécula chamada TGF BETA, que pode inibir o crescimento de tumores de mama em fases iniciais.
Já em 2018, os estudantes, Matheus Deroco Veloso da Silva (graduação) e Jeniffer Aparecida Machado Lopes (pós-graduação), conquistaram premiações na 31ª edição Paranaense de Ciência e Tecnologia Governador José Richa. Matheus Deroco Veloso da Silva, do curso de Biomedicina, do Centro de Ciências Biológicas (CCB), conquistou prêmio na categoria graduação. Ele foi premiado com o estudo "Análise histológica do fígado de ratos wistar tratados com atrazina associada à goethita", e recebeu prêmio no valor de R$ 11.000.
Já a mestranda do programa de pós-graduação em Engenharia de Edificação e Saneamento, atual pós-graduação em Engenharia Civil, do Centro de Tecnologia e Urbanismo (CTU), Jeniffer Aparecida Machado Lopes, que também é graduada em Engenharia Civil pela UEL, venceu na categoria inventor independente, na área de Engenharias. Ela criou um misturador gradual de fluxos, projeto que visa criar dispositivo de baixo custo, dentro do padrão Minha Casa Minha Vida, que permita o controle de água fria e quente em um único registro.
(Com informações da SETI).

Comentários