UEL lança campanha institucional em defesa da vida


O reitor da UEL, Sérgio Carvalho, apresentou nesta sexta-feira (5), durante reunião ordinária do Conselho Universitário (CU) da UEL, os fundamentos de uma campanha institucional que tem o objetivo de alertar a comunidade universitária, bem como a sociedade, do momento grave que o país atravessa, considerando a saúde pública e o esgotamento do sistema de público e privado. A iniciativa tem o objetivo de reduzir o alto índice de contaminação de pessoas pelo Coronavírus, e consequentemente, diminuir a fila de espera de pacientes no Hospital Universitário (HU) da UEL, unidade de referência para o tratamento da doença na região.

“É uma posição técnica de toda a comunidade da UEL neste momento de colapso de todo o atendimento de saúde do país e no espaço da Universidade que é o HU”, definiu o reitor. A campanha institucional pretende evidenciar via mídias sociais e demais meios de comunicação a importância de manter o isolamento social e os cuidados básicos de higiene para evitar o contágio e tentar bloquear o alto índice de infecção registrado em todos os estados brasileiros, nesta segunda onda do Coronavírus.

Nesta sexta-feira, a direção do HU da UEL voltou a relatar procedimentos para tentar conter a superlotação dos leitos de enfermaria e UTI, além do Pronto Socorro (PS). De acordo com o boletim divulgado pela diretora superintendente, Vivian Feijó, a ocupação do PS chegou a 200%. Em virtude da superlotação, a unidade foi fechada para novos internamentos na última quarta-feira. Outra informação preocupante, divulgada pela Superintendente, é o número de pacientes aguardando internação, que chega a mais de 60.

Segundo o que o reitor da UEL narrou aos conselheiros, neste momento de profunda crise e de esgotamento da infraestrutura de atendimento em todos os níveis, é necessário uma divulgação maciça de informação para provocar a mudança de atitude. Além de evitar aglomerações e reforçar os cuidados básicos de higiene, a sociedade precisa ter clareza que estamos em plena segunda onda da pandemia, sem a definição de que já chegamos no pico da infestação. “Estamos no limite. Toda a sociedade precisa se engajar. Toda e qualquer vida importa”, afirmou o reitor.

Providências – o reitor relatou ao Conselho Universitário que a UEL pretende dar todo o suporte para reforçar o atendimento emergencial no HU. A Universidade, por meio da Pró-reitoria de Administração e Finanças (Proaf) e da Pró-reitoria de Recursos Humanos (Prorh) vai realizar um estudo de compensação de horas de atividades e de gestão de horas extras para que os servidores de saúde possam ter a melhor atuação possível neste momento de crise.

Outra medida que será tomada na próxima semana é uma revisão sobre atividades de servidores do Campus que possam, de alguma forma, reforçar o atendimento de emergência. O reitor esclareceu que esta medida emergencial representa um apoio ao trabalho desenvolvido na área de atendimento ao paciente. “Estamos estudando a jornada de servidores que poderão dar suporte em questões básicas no HU. Sabemos que o atendimento da saúde já está no limite”, definiu ele.

Campanha – nos próximos dias a UEL, por meio da Coordenadoria de Comunicação Social (COM) vai divulgar uma série de postagens e vídeos nas redes sociais mantidas pela instituição, além da Rádio e TV UEL e no portal www.uel.br. A proposta é disseminar em detalhes os problemas que envolvem todo o sistema de saúde do país, incluindo o HU da UEL.

Segundo o Coordenador de Comunicação Social, professor Sérgio Gerelus, a iniciativa intitulada “Sou HU, Sou UEL, Sou Pela Vida”, vai detalhar a necessidade de redobrar cuidados com a saúde individual de cada cidadão por conta da acentuação da crise sanitária. “Teremos publicações, postagens e vídeos e a entrada em eventos, aulas e espaços remotos para levar a mensagem aos estudantes, professores e agentes universitários que precisamos nos mobilizar e convencer as pessoas sobre os cuidados necessários neste momento”, definiu.

Ainda de acordo com o Coordenador, a campanha incentivará a mobilização da comunidade interna para a defesa da vida com o uso frequente de máscara, higiene e a proteção de todos. “São ações simples como a não aglomeração de pessoas neste momento tão delicado”, finalizou.


Arte divulgação da Campanha “Sou HU, Sou UEL, Sou Pela Vida”


Comentários