PROEX capta R$ 215 mil para melhorias na estrutura extensionista

 Agência UEL



A UEL, por meio da Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Sociedade (PROEX), foi contemplada com R$ 215 mil que serão utilizados para o aprimoramento da estrutura extensionista da instituição. A proposta da Universidade foi selecionada na Chamada Pública 02/2021 “Programa Institucional Pró-Extensão das IES Estaduais”, da Fundação Araucária, que destinará investimento total de R$ 1,5 milhão para financiar melhorias na infraestrutura da extensão nas sete Instituições Estaduais de Ensino Superior do Paraná.

Segundo Mara Solange Dellaroza, pró-reitora de Extensão, Cultura e Sociedade, diferente dos outros editais, o recurso desta chamada pública permitirá investimentos na estrutura e área física de projetos e programas de extensão na Universidade. “Esse é um investimento muito importante, porque nunca existiu um edital com esse objetivo. Vai permitir a melhoria de espaços que hoje prestam serviços à comunidade”. Para ela, isso vai refletir diretamente no atendimento à população de Londrina e região. “Através da melhoria de alguns espaços que serão contemplados com recursos do Edital, nós vamos ter condições de oferecer um serviço de melhor qualidade e mais conforto para a população”, afirma.

Recursos – De acordo com Paulo Liboni, diretor de Programas, Projetos e Iniciação Extensionista da PROEX e responsável institucional pela proposta, o recurso recebido será aplicado de duas formas. A primeira, no valor de R$ 25 mil, tem como destino a compra de equipamentos de áudio, vídeo e foto, e também de tendas desmontáveis, que serão concedidos, pela modalidade de empréstimo, a projetos e programas de extensão, tanto neste período de pandemia, como posteriormente. A segunda, com o montante de R$ 190 mil, será destinada à manutenção e conservação de imóveis, como por exemplo, para pintura, troca de pisos, parte hidráulica de espaços, a partir de serviços de terceiros.

Para essas reformas de imóveis, a PROEX vai abrir nos próximos dias um Edital de concorrência interna para que os coordenadores de projetos e programas de extensão da UEL façam a candidatura. Serão duas etapas de seleção: avaliação dos projetos submetidos e visita técnica da Prefeitura do Campus (PCU) para definição de orçamento. Paulo Liboni explica que não haverá um valor predeterminado para cada projeto e que isso dependerá do orçamento. A escolha dos projetos será feita por uma Comissão apontada pela Câmara de Extensão, Cultura e Sociedade.

Creditação – Liboni afirma que há uma expectativa que este tipo de chamada pública se torne permanente na Fundação Araucária para apoiar a infraestrutura necessária para a extensão, para além da concessão de bolsas para estudantes e professores e compra de equipamentos.

O diretor da PROEX explica que as universidades estão passando por um processo de creditação da extensão, ou seja, de inclusão das atividades extensionistas – cursos, eventos, programas e projetos – como parte do currículo dos cursos de graduação. Segundo ele, há uma determinação legal que todas a universidades precisam destinar 10% da carga horária para a extensão. Para um curso que possui 3.000 horas de carga horária total, 300 delas serão destinadas para ações extensionistas, por exemplo. “Esse tipo de chamada pública vai auxiliar o fortalecimento institucional da extensão”, explica.

A pró-reitora Mara Solange Dellaroza afirma que a implantação da extensão será feita em todos os cursos de graduação da UEL, em um processo que deve levar ainda alguns anos para ser finalizado. Devido a isso, a creditação vai gerar demandas para a extensão. “Isso significa a necessidade de uma ampliação considerável das ações extensionistas e com estruturas físicas mais adequadas, isso com certeza será mais fácil de ser realizado”, avalia.

Comentários